sábado, 21 de setembro de 2013

Trabalhando possibilidades_à partir do interesse apresentado em sala de aula hoje no 3ºA

Comunicação Social – Jornalismo
Profissional tem de ser curioso e ter uma postura crítica 
 
O mercado de trabalho é bastante disputado, e os órgãos de imprensa estão com suas equipes de jornalistas cada vez mais “enxutas”, mas ainda há boas oportunidades. Os alunos da UNESP costumam ser bem-avaliados pelo mercado, e muitos conseguem boas colocações nas principais empresas de comunicação brasileiras. Geralmente, começam a carreira no Interior e, depois, vão para as capitais, podendo assumir, com o tempo, cargos de chefia.

A maior fatia do mercado, hoje, está nas empresas de assessoria de comunicação, que é o setor que mais cresce. Apesar dessa ampliação de vagas, no entanto, as empresas não têm contratado no regime tradicional de carteira assinada. Há muitos jornalistas trabalhando como freelancers, isto é, prestando serviços sem vínculo empregatício.

É desejável que o profissional de imprensa tenha algumas características pessoais específicas, como ser comunicativo e curioso. Mas a principal delas é ter interesse pelo que é público, por aquilo que o leitor ou o ouvinte querem saber. O jornalista precisa ir além do que é de seu interesse privado, pois a maior parte do seu trabalho será informar a sociedade sobre temas do interesse dela.

O hábito da leitura é importante. E os bons autores ensinam muito: noção de ritmo, de como prender a atenção do leitor e o poder de concisão, por exemplo. O espaço para notícias costuma ser pequeno, seja na imprensa escrita, na TV ou na Internet.
Manter uma postura crítica em relação à informação é uma atitude fundamental para que o jornalista desempenhe bem sua função. E essa é uma qualidade que se adquire com uma boa formação, mas também com boas leituras, com cursos de especialização e com a constante atualização dos conhecimentos apreendidos na graduação.

Além das ocupações tradicionais – em redações de revistas ou jornais, em emissoras de TV, em rádios ou assessorias –, o jornalista pode, ele mesmo, abrir sua empresa. É uma tendência muito observada entre os recém-formados. Trata-se de uma fatia de mercado que tem se mostrado muito promissora.
na UNESP
Jornais-laboratório trazem para aluno vivência da profissão
O curso de Comunicação Social – Jornalismo, oferecido na Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (Faac) da UNESP, câmpus de Bauru, é considerado um dos melhores do País. O corpo docente é quase exclusivamente composto por doutores (90%), todos eles em regime de dedicação exclusiva, com larga experiência profissional.

O curso foi totalmente reformulado no segundo semestre de 2004. A partir de um estudo aprofundado da grade curricular das melhores universidades brasileiras, foi criada uma nova estrutura. Entre as mudanças implementadas, está a reunião, em semestres subsequentes, dos cursos de teoria e prática dos diferentes meios de comunicação (impresso, rádio e TV, on-line, assessoria de imprensa).

Além das aulas teóricas, o curso oferece aos alunos a oportunidade de colocar em prática o que aprenderam no jornal-laboratório Contexto, nas reportagens semanais do jornal Extra!, na revista-laboratório Ciência no Câmpus, na rádio digital Rádio Unesp Virtual (www.radiovirtual.unesp.br), na qual os alunos começam a trabalhar desde o primeiro semestre, ou na TV, pela Internet (www.faac.unesp.br/audiovisual/webtv), entre outros produtos editados pelos alunos.

Os estudantes têm, também, aulas nos Laboratórios de TV, Rádio e Editoração Eletrônica. No final do curso, devem fazer uma monografia sobre jornalismo ou apresentar um projeto experimental, que pode ser uma reportagem de jornal, TV ou rádio, um documentário ou vídeo, uma revista ou um suplemento especial.
 

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Pensando nos meus alunos do 3º ano e a quem possa interessar...

Teste Vocacional

A escolha da profissão não é uma tarefa fácil, sempre surgem dúvidas na hora de decidir entre quais carreiras escolher. O Teste Vocacional do Mundo Vestibular foi elaborado para que você possa descobrir quais carreiras mais combinam com você e com sua personalidade.
Teste Vocacional
Se você está se preparando para o vestibular aproveite esta ótima oportunidade para analisar quais as áreas do conhecimento que mais combinam com a sua personalidade.
Este teste vocacional online é composto por 17 questões objetivas e ao final você poderá ver o resultado e ainda compartilhar com seus amigos ou deixar um comentário.
1) Quando penso numa profissão, o mais importante para mim é:
 Obter um bom retorno financeiro e ser bem sucedido.
 Trabalhar em algo que esteja em evidência no mercado.
 Fazer algo que gosto, independente do retorno financeiro.
 Ser muito bem sucedido financeiramente.
 Poder atuar em minha comunidade.
2) Das viagens abaixo, qual seria considerada por você como a viagem perfeita?
 Conhecer os castelos antigos da Europa e visitar os museus.
 Surf e aventuras radicais na Austrália.
 Compras e conforto, viajando pelos Estados Unidos.
 Conhecer as particularidades da cultura asiática no Japão.
 Descansar com a família em uma ilha paradisíaca.
3) A pessoa da sua família que você mais admira:
 Estudou bastante e possui uma posição de destaque no mercado de trabalho.
 É aventureira e viaja bastante.
 Curte a vida e está sempre descobrindo coisas novas.
 É bastante criativa e está sempre com novidades.
 Se dedica a algum trabalho de ajuda ao próximo.
4) Se eu tivesse que montar uma empresa hoje, esta empresa seria:
 Uma empresa baseada em algo de meu interesse pessoal como um passatempo ou atividade que pratico.
 Uma empresa direcionada as tendências atuais do mercado independentemente da área de atividade.
 Uma empresa familiar onde eu pudesse trabalhar perto de meus amigos e familiares.
 Uma empresa tradicional, com produtos ou serviços conservadores e de fácil comercialização.
 Uma empresa criativa onde eu pudesse arriscar e desenvolver novas ideias.
5) Qual país abaixo você desejaria conhecer?
 Egito.
 Israel.
 Nova Zelândia.
 Tailândia.
 África do Sul.
6) Qual dos esportes abaixo você mais se identifica?
 Futebol.
 Lutas.
 Natação.
 Tênis.
 Não gosto de esportes.
7) Em um ambiente onde você não conhece ninguém, você costuma:
 Ficar em um lugar isolado.
 Conversar com alguém que possa lhe introduzir a um grupo.
 Curtir sozinho.
 Se socializar e conquistar amigos.
 Se sentir incomodado por estar sozinho e vai embora.
8) Em quais destes ambientes você se sente mais a vontade?
 Em um hospital.
 Em centros esportivos.
 Em uma floresta.
 Em shoppings.
 Em lugares isolados.
9) Dentre estas personalidades, a que mais admiro é:
 Bill Gates.
 Steve Jobs.
 Ronaldo.
 Angelina Jolie.
 Madre Tereza.
10) Estou fazendo este teste vocacional pois:
 Não tenho ideia de qual profissão escolher.
 Estou na dúvida entre duas profissões.
 Estou na dúvida entre 3 profissões ou mais.
 Sei qual profissão me interessa, mas não tenho certeza.
 Estou certo de qual profissão eu quero, apenas pretendo conferir.
11) Procuro fazer amigos que:
 Possuem status e são influentes.
 Possuem os mesmos interesses que eu.
 Compartilham das mesmas ideias.
 São bastante diferentes de mim.
 Não me preocupo com características quando procuro uma amizade.
12) Na escola eu geralmente me destacava por:
 Ser um aluno dedicado e tirar notas boas.
 Ser atencioso e ajudar meus colegas.
 Ser bastante dedicado aos esportes.
 Não prestar atenção nas aulas e ser repreendido.
 Ser engraçado e contar piadas.
13) Se eu ganhasse na loteria eu:
 Guardaria parte do dinheiro e investiria em um negócio.
 Dividiria meu dinheiro entre diversas opções de investimento.
 Guardaria o dinheiro e me dedicaria a atividades que me interessam.
 Usaria o dinheiro para uma causa nobre.
 Aposentaria e viveria viajando.
14) Se eu tivesse que escolher uma atividade para exercer por 6 meses seria:
 Reformar uma casa.
 Me colocar em contato com pessoas bem-sucedidas.
 Algo que pudesse ser realizado em equipe.
 Uma atividade com boa remuneração.
 Uma atividade voluntária e com a qual eu pudesse ajudar o maior número de pessoas.
15) Eu certamente gastaria uma boa parte do meu primeiro salário com:
 Um jantar para a(o) namorada(o) ou familiares.
 Investiria em meu desenvolvimento profissional.
 Uma viagem.
 Gastaria o mínimo possível.
 Compraria algum produto caro de meu interesse.
16) Se eu tivesse que abrir um destes negócios seria:
 Uma empresa de internet.
 Uma fábrica de computadores.
 Um restaurante.
 Uma academia.
 Uma clínica médica.
17) Minha maior frustração seria:
 Não ser bem sucedido profissionalmente.
 Não me destacar em minha área de atuação.
 Não construir uma família.
 Não ter muito tempo para curtir a vida.
 Escolher a carreira errada e ter que mudar depois.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Remédios e gestação: uma mistura perigosa




Falta de orientação na hora de tomar remédios pode comprometer a saúde e a vida da mãe e do bebê. Veja por que é preciso ter cautela para ingerir um simples comprimido


"Não tome remédio sem prescrição médica.Leia a bula." 

 De acordo com a pesquisa, 60% das entrevistadas simplesmente não haviam sido orientadas sobre o que poderiam usar em caso, por exemplo, de uma cólica. Com base na classificação da Food and Drug Administration (FDA), órgão regulador de medicamentos nos Estados Unidos, os princípios ativos são divididos em cinco grupos: A, B, C, D e X. Sendo o A composto por remédios que não oferecem risco algum e o X, por drogas que têm efeitos negativos para o bebê –vão do aborto a má-formação. No estudo, que foi a dissertação de mestrado da farmacêutica Andrea Fontoura, os resultados foram inquietantes: “A maioria das mães utilizava alguma substância dos grupos A e B e cerca de 14% fazia ingestão regular de remédios de risco C – muitos dos quais apresentaram efeitos que interferem no desenvolvimento do bebê, pelo menos em pesquisa com cobaias”, conta a farmacêutica.Você deve estar se perguntando quais são os remédios que entram em cada uma dessas categorias. E, ao contrário do que se imagina, nem todos os vilãos são medicamentos de tarja vermelha e preta. Analgésicos, remédios para gastrite, para micoses, e inclusive antitérmicos populares engordam esta perigosa lista. Até alguns complexos vitamínicos, bem recomendados a gestantes, quando apresentam excesso de iodeto de potássio entram para a categoria de risco C. “A gestante precisa interrogar seu ginecologista e procurar pelo farmacêutico na hora de comprar algo. Ambos profissionais estão aptos a orientá-la”. E, claro, nada de aceitar sugestões de remédios de amigas, o que funciona para um organismo pode produzir um efeito totalmente adverso a outro. “É preciso promover um uso racional de medicamentos”, defende Andrea Fontoura.
Quem já não escutou estas frases ao menos uma vez na vida? Embora elas sejam repetidas exaustivamente, as futuras mães brasileiras não estão dando a devida importância a estas recomendações. Foi o que constatou um estudo realizado pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP), da Universidade de São Paulo. A pesquisa envolveu 699 mulheres com mais de 30 semanas de gestação. 
 

domingo, 11 de novembro de 2012




Não basta mas, já é um grande passo.Em que pese as providências, a punição deve alcançar a equidade ao desacato ao funcionário público com atenuantes às frequentes ameaças e vias de fato!!!

Brasil...mostra a Sua Cara 
 compartilhe, comente, postem a este respeito!!!

Professora Aline Mazetto

Pessoal vamos compartilhar aos montes, para mostrar nossa força e o projeto ser aprovado!!




quarta-feira, 5 de setembro de 2012




Verdadeiros amigos deveriam se chamar irmãos. Porque os verdadeiros amigos gostam de mim do jeito que eu sou, com todos os meus defeitos ( não são poucos), qualidades, assim como minha família. Esses que estão comigo em todos os momentos da minha vida...de um jeito ou de outro; perdoam meus atos; riem das minhas besteiras; me alertam sobre meus erros e não me julgam; não me questionam e se o fazem
, é pensando no meu bem; sempre me perdoam; me ensinam coisas novas, novos horizontes, novos pensamentos; me modificam, e se deixam modificar por mim para melhor, sempre um completando o outro; não saem do meu lado, não importa o que eu faça. É um sentimento recíproco. Tomam um pedaço no meu coração muito rápido, não importa por quanto tempo. E conforme o tempo, podemos percebe quem são os verdadeiros amigos, aqueles que podemos chamar de irmãos. E posso afirmar que não é o tempo que faz eles serem verdadeiros, pois existem amigos que fazem muito mais por mim em meses, do que alguns amigos de anos. Porém, aprendi que a vida é feita de fases. Assim como uma roda gigante, a vida não para, as pessoas mudam, sua personalidade muda, e seus amigos mudam. Os verdadeiros permanecem! Todo e qualquer amigo que passar em nossa vida vai passar sozinho, de uma forma diferente, isso porque cada pessoa é única e nenhuma substitui a outra. Cada amigo que passar, quando for embora, vai levar um pedaço meu mas, vai deixar comigo um pedaço de si. É por isso que destino existe, é por isso que as pessoas não se encontram por acaso!

Hoje, depois de entender e aceitar o direito...a liberdade de SERMOS DIFERENTES em muitos aspectos, eu agradeço à Deus os irmãos de sangue desta vida, Marcelo Mazetto e Glair Mazetto Betti; aos irmãos de outras vidas, que nesta, me foram concedidos como amigos ao longo dos caminhos que a minha vida trilhou até então!!

A Todos VCs....O MEU MUITO OBRIGADA!!!

                                                         
Aline Mazetto

Basta de Violência nas Escolas!


segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Lavando a alma...


Me calei quando mais deveria ter falado. Chorei. Ah, como eu chorei! Mas também fiz pessoas chorarem. Briguei... brinquei e me arrependi (algumas vezes). Guardei coisas bobas e deixei coisas importantes passar. Algumas vezes fui feliz, outras vezes triste. Me arrependi de coisas que disse, e disse coisas da qual não me arrependo mesmo. Xinguei, gritei e perdoei. Errei querendo acertar, e acertei quando achei que tinha errado. Acreditei no “para sempre”, “eu te amo”, “conte comigo”, e também fiz pessoas acreditarem. 
Prometi coisas que não cumpri, e cumpri coisas que nem ao menos prometi. Perdi e ganhei. Sorri e chorei. Me ergui e desabei. Cresci e, independente da opinião alheia, alheio ao que as demais pessoas julguem como certo...eu amadureci. Porque o tempo é tão eficaz sob todas as coisas, quanto impiedoso e isso fundamenta o descarte dos pré julgamentos de pessoas que "assistem" a minha vida, nem sempre tão próximas e boa parte destas sequer aprenderam a conduzir as suas próprias vidas mas, se apresentam pra ditar o que é ou não bom pra mim, o que é ou não certo em mim e por conta apontam o que e onde devo mudar.
SÓ LAMENTO POR TAL PRETENSÃO e ISSO JÁ NÃO ME AFETA MAIS! 
E então volto a perguntar: “E ai, 2011 valeu a pena?” 
Valeu, valeu sim... muito a pena!!!

Vem que vem 2012!!!
Aline Mazetto

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Quanto vale o estudo?

Ao mesmo tempo causa e consequência da desigualdade social entre os brasileiros empregados, o abismo salarial que separa trabalhadores com e sem diploma universitário começou a diminuir. Depois de atingir o ápice em 2007, quando funcionários graduados ganhavam 159% a mais do que empregados de nível médio, a curva da disparidade sofreu uma inflexão nos dois anos seguintes. Em 2009, último ano com estatísticas disponíveis, a diferença já havia caído para 146%. Os dados, que têm como fonte primária a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do IBGE, fazem parte de um estudo ainda inédito do economista Naercio Menezes Filho, do Insper, um centro de ensino e pesquisa nas áreas de negócios e economia.

O que explica a reversão da tendência de supervalorização do trabalhador diplomado é a popularização do ensino universitário na última década. Entre 2001 e 2009, foram abertas quase mil faculdades e o número de alunos praticamente dobrou. O Censo da Educação Superior de 2009 mapeou 2,3 mil instituições de ensino, com 5,95 mil alunos matriculados – 75% deles em escolas pagas. É este brutal aumento da oferta de mão de obra formada em faculdades que explica a relativa perda de relevância econômica da graduação nos últimos anos. E não uma queda na demanda por trabalhadores graduados. Ao contrário. O diploma ainda vale muito. Em 2009, pagavam-se, em média, R$ 1.169 para trabalhadores que estudaram até o ensino médio e R$ 2.880 para profissionais com nível superior. “Continua sendo um impacto substancial”, afirma Menezes. Estima-se que o nível de desemprego entre brasileiros diplomados seja um terço da taxa média de desocupação no país.
Longe de desprezar a mão de obra de nível superior, as empresas tratam é de elevar seu grau de exigência. Com o diploma universitário transformado em commodity, a diferenciação passou a estar em mestrados, doutorados, MBAs e Ph.Ds.
Em 2009, um profissional com pós-graduação ganhava, em média, R$ 4.856, comparado aos R$ 2.880 dos colegas com terceiro grau completo. É um salto de 68,5%, conquistado com dois anos a mais de estudo. Em 1999, a diferença entre graduados e pós-graduados ficava em 32,5%.
Ilustração Rocca

NOVA CLASSE MÉDIA
A diminuição da lacuna entre diplomados e não diplomados é parte de um movimento desejado de queda da desigualdade de oportunidades. A consultora Priscila Simões, sócia da Expertise Educação, dedicou sua tese de doutorado ao tema. Defendida na USP no ano passado, ela revela que, entre 2004 e 2008, a participação dos alunos com renda de até três salários mínimos no ensino superior privado brasileiro cresceu 84,5%. A fatia daqueles com rendimentos entre três e cinco salários mínimos aumentou 52,6%. Com isso, 70% do total de alunos do ensino superior privado passou a se concentrar nas faixas de renda de até dez salários mínimos.

Outro estudo recente, da Hoper Educação, uma consultoria especializada em ensino, atribui o crescimento do número de estudantes de baixa renda no ensino superior a dois fatores principais: a queda no valor médio das mensalidades das faculdades privadas (24% entre 1999 e 2008) e a criação, pelo governo, do ProUni, um programa que vem beneficiando com bolsas de estudo aproximadamente 100 mil estudantes por ano. É um número apenas razoável quando se leva em conta que cerca de 1 milhão de brasileiros concluem o ensino médio e não passam à universidade por falta de recursos. “O fato de essa ser a primeira geração a ingressar no ensino superior na família carrega alto valor simbólico, tanto para os alunos quanto para os familiares”, escreve Priscila em sua tese. A educação é vista como o principal instrumento de ascensão social e de melhora na qualidade de vida. Mas também como uma oportunidade de conviver com pessoas de regiões, religiões e ideias diferentes.

Nas décadas que se seguiram à Segunda Guerra, os Estados Unidos passaram por um processo semelhante de popularização do ensino universitário. Hoje, questiona-se a educação superior universalizada tanto no âmbito financeiro como no filosófico. A crise econômica e a consequente falta de empregos para quem sai da universidade fazem a maioria dos americanos (57%) achar que o diploma não compensa os gastos pesados para as famílias. Em 25 anos, as mensalidades subiram 467% nos Estados Unidos, ante uma inflação acumulada de 107%. Na academia, o debate é outro: o papel da universidade é educar um número pequeno de pessoas em um padrão muito elevado ou estender as oportunidades educacionais tanto quanto possível, a um padrão não tão alto?
Ilustração Rocca

Dia do Amigo


O Dia do Amigo, celebrado a 20 de julho, foi primeiramente adotado em Buenos Aires, na Argentina, com o Decreto nº 235/79, sendo que foi gradualmente adotado em outras partes do mundo.
A data foi criada pelo argentino Enrique Ernesto Febbraro. Com a chegada do homem à lua, em 20 de julho de 1969, ele enviou cerca de quatro mil cartas para diversos países e idiomas com o intuito de instituir o Dia do Amigo. Febbraro considerava a chegada do homem a lua "um feito que demonstra que se o homem se unir com seus semelhantes, não há objetivos impossíveis".
Aos poucos a data foi sendo adotada em outros países e hoje, em quase todo o mundo, o dia 20 de julho é o Dia do Amigo, é quando as pessoas trocam presentes, se abraçam e declaram sua amizade umas as outras, na teoria.
No Brasil, apesar de não ser regulamentada por lei, o dia do amigo é comemorado popularmente em 18 de abril.No entanto, o país também vem adotando a data internacional, 20 de julho, sendo inclusive instituída oficialmente em alguns estados e municípios.

Dia 20 de julho é o dia internacional da amizade é dia do amigoDia 18 de abril é o dia do amigo aqui no Brasil. Por convenção, determinou-se um dia para festejar a amizade, mas Todo Dia é Dia dos Amigos, Dia da Amizade, então, se você tem um grande amigo ou uma pessoa que você ama muito, esta é uma grande oportunidade de enviar uma linda mensagem em PPS ou um Video sobre amizade. Comemore a amizade, amigos são pedras preciosam que valorizam a nossa vida.
Aproveite este momento tão especial e demonstre seu amor por seus amigos. Preparamos um especial com belas mensagens de amizade, videos e apresentações em power point para que você envie para aquelas pessoas que fazem a sua vida mais feliz. Feliz Dia do Amigo, feliz Dia da Amizade.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Programação Cultural de Férias em São Paulo


Passeios no estado de São Paulo

Museu de Arte de Sao Paulo. Foto: Gilberto Marques
MASP
O mais importante museu de arte do país já está com mais de 60 anos. Que tal visitar seu acervo permanente, com telas de Rafael, Picasso, Cézanne e Renoir, entre outros?
Como ir Ele fica na Avenida Paulista, 1.578, São Paulo, SP. Trianon é o metrô mais próximo. Abre de terça a domingo, das 11h às 18h. Quintas, das 11h às 20h.
Informações tel.             (11) 3251-5644      , site:  www.masp.art.br.



Pinacoteca de São Paulo. Foto: FERNANDO GARDINALLI
Pinacoteca
A especialidade deste museu é a arte brasileira produzida até o século 19. Mas obras de artistas modernistas também estão lá. O lugar mais disputado pelos visitantes, porém, costuma ser o átrio reservado às esculturas em bronze dos franceses Auguste Rodin e Emile-Antoine Bourdelle.
Como ir Trem e metrô são as melhores opções. A Pinacoteca fica na Praça da Luz, 2, São Paulo, SP, e funciona de terça a domingo, das 10h às 18h.
Informações tel.             (11) 3324-1000      , site: www.pinacoteca.org.br.



Sala São Paulo. Foto:mario rodrigues
Sala São Paulo
Inaugurada em 1938, a antiga estação de trens Júlio Prestes virou um complexo cultural cuja estrela é a Sala São Paulo – sede da Orquestra Sinfônica do Estado (Osesp).
Como ir Este é outro programa na região central de São Paulo - Praça Júlio Prestes, 16. A estação de metrô mais próxima também é a da Luz. Funcionamento da bilheteria: de segunda a sexta, das 10h às 18h; aos  sábados, das 10h às 16h30, ou até o início da apresentação. Domingos e feriados, duas horas antes do concerto.
Informações tel.             (11) 3223-3966      , site: www.salasaopaulo.art.br.

Museu da Língua Portuguesa. Foto: Luciano Bogado
Museu da Língua Portuguesa
Em vez de paredes, vozes. No lugar de quadros ou esculturas, instalações interativas. Assim é o Museu da Língua Portuguesa, um espaço que combina arte e tecnologia para surpreender o público, apresentando a ele, da maneira mais lúdica possível, a riqueza, os mistérios e o encanto da nossa língua materna.
Como ir O museu ocupa três andares da Estação da Luz, na Praça da Luz, s/nº, São Paulo, SP. A bilheteria abre de terça a domingo, das 10h às 17h, e o museu, das 10h às 18h. Não abre às segundas.
Informações tel.             (11) 3326-0775      , site:www.museudalinguaportuguesa.org.br.



Centro Cultural Banco do Brasil. Foto: Daniela Toviansky
Centro Cultural Banco do Brasil
Neste edifício de arquitetura neoclássica, construído em 1901, funcionou a primeira agência do banco na capital paulista. Hoje, ele abriga salas de exposição, teatro e cinema - além de restaurante e café com internet. A programação cultural é intensa.
Como ir O Centro Cultural Banco do Brasil fica na rua Álvares Penteado, 112, São Paulo, SP. Sé e São Bento são as estações de metrô mais próximas. Funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 20h.
Informações tel.             (11) 3113-3651      , site:  www.bb.com.br/cultura.


Itaú Cultural. Foto: Frederic Jean
Itaú Cultural, SP
O prédio deste instituto também é espetacular - um dos belos exemplos de arquitetura contemporânea que São Paulo tem a oferecer. Lá dentro, duas boas - e gratuitas! - surpresas: o Museu Herculano Pires, com coleções de moedas, medalhas e condecorações, e uma midiateca, com livros, DVDs e outras mídias.
Como ir O Itaú Cultural fica na Avenida Paulista, 149, São Paulo, SP. Brigadeiro é o metrô mais próximo. Funcionamento: de terça a sexta, das 9h às 20h. Sábados,domingos e feriados, das 11h às 20h.



Parque Estadual da Cantareira. Foto: Rafael Cusato

Cantareira
Com área equivalente a mais de 7 mil campos de futebol, o Parque Estadual da Cantareira é uma das maiores florestas urbanas nativas do mundo. Vale a pena visitá-lo para desfrutar de uma das melhores vistas da cidade de São Paulo - proporcionada pelo mirante da Pedra Grande -, conhecer espécies típicas da Mata Atlântica, como o jacarandá-paulista, observar saguis e uma grande variedade de pássaros.
Como ir O núcleo mais frequentado do parque é o Pedra Grande, com acesso pela rua do Horto, 1.799, São Paulo, SP. Há outros dois núcleos: Engordador (acesso pela rodovia Fernão Dias) e Águas Claras (na divisa entre São Paulo e Mairiporã).
Informações tel.             (11) 6231-8555      , site:www.saopaulo.sp.gov.br/conhecasp/turismo_parques_estadual-cantareira.



Paranapiacaba. Foto: Ricardo Benichio
Paranapiacaba
Construída a partir de 1860, em plena Serra do Mar, esta vila abrigou os operários da antiga estrada de ferro São Paulo Railway. Paranapiacaba fica no município de Santo André, na Grande São Paulo. É interessante fotografar as casinhas de madeira trazidas da Inglaterra e visitar os museus locais.
Como ir Siga pela via Anchieta até o quilômetro 29. Então, as rodovias SP-148, SP-31 e SP-122 irão levá-lo até a vila.
Informações tel.             (11) 4439-0237      , site: www2.santoandre.sp.gov.br/page/1599.



Serra da Bocaina. Foto: Mario Rodrigues
Serra da Bocaina
Quer viajar e não sabe para onde? Vá para a Bocaina! Essa região entre São Paulo e Rio de Janeiro é capaz de agradar a todo tipo de turista. Para quem gosta de patrimônio histórico, as fazendas de café do século 19 são um prato cheio: bem preservadas e abertas à visitação. Já se o seu negócio é caminhar, há inúmeras trilhas que cortam a mata nativa e levam a cachoeiras de tirar o fôlego.
Como ir Siga pela via Dutra até Queluz (cerca de 240 quilômetros a partir de São Paulo). Daí em diante, são 36 quilômetros até São José do Barreiro e 94 quilômetros até Bananal.
Informações tel.             (12) 3117-2143      , site: www.icmbio.gov.br/brasil/SP/parque-nacional-da-serra-da-bocaina.



Alto Ribeira. Foto: Marcos Kim
Alto Ribeira
Se a ideia é fugir para a natureza mais selvagem possível, mas sem ir muito longe, o Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (Petar), no sul de São Paulo, é uma ótima opção. A reserva abriga a maior porção de Mata Atlântica preservada do Brasil e mais de 300 cavernas. Guias locais levam os visitantes para passeios que podem durar de algumas horas a dois ou três dias inteiros de caminhada.

Como ir Iporanga e Apiaí serão suas bases. A partir de São Paulo, são 215 quilômetros pela Régis Bittencourt até Jacupiranga. As rodovias SP-193 e SP-165 completam o trajeto.
Informações site: www.petaronline.com.br.

Comente e sugestione passeios....compartilhe suas experiências nos respectivos roteiros!